HIDRÁULICA

A) GENERALIDADES:

UNIDADES USUAIS
1 kgf/cm² = 10 m.c.a
1 MPa = 10 kgf/cm² = 100 m.c.a.
1 kgf/cm² = 14,223355 lb/pol²

Etapas a serem executadas a de alvenaria, as instalações hidráulicas e as de esgoto sanitário são entregues a um bombeiro (encanador) que as executará com base em especificações de projeto.
Fases das instalações hidráulicas a executar:
- Ligação provisória de água e esgoto para a obra - requerimento a concessionária ou ao poder público de fornecimento de água tratada e coleta de esgoto (ou abertura de poço, se houver essa possibilidade, e execução de fossas sépticas);
- Execução de reservatórios inferior e superior de água para abastecimento da edificação, feitos de concreto armado de acordo com o projeto estrutural ou simplesmente instaladas caixas d'água de fibrocimento, PVC ou fibra de vidro;
- Execução das tubulações e conexões embutidas nas paredes e no solo ou aparentes.

TÓPICOS A SEREM OBSERVADOS:
- Atenção para o posicionamento correto durante as concretagens, das aberturas na estrutura para passagem dos tubos;
- Uso do PVC conforme orientações do fabricante;
- Uso de tubulações e conexões de cobre ou CPVC próprios para condução de água quente;
- Execução dos trechos horizontais da tubulação de esgoto com caimento suficiente e caixas de inspeção nas mudanças de direção e nos trechos longos.

DICAS IMPERDÍVEIS:
1) Devemos instalar dois registros de gaveta, um antes e outro depois do hidrômetro, para que possamos dar manutenção ao hidrômetro sem que a água do abastecimento público vaze nem a da caixa d'água superior retorne;
2) Mesmo os reservatórios enterrados (cisternas) devem ter canalização de limpeza que joga numa caixa coletora ao lado desse reservatório, que deverá possuir moto-bomba para limpeza de todo o conjunto (caso não possua diferença de nível para o logradouro público);
3) O "ladrão" do reservatório superior joga no telhado ou em uma caixa coletora grande com saída de ø75mm, que jogará na tubulação coletora de águas pluviais;
4) Pressão máxima por norma é de 40m.c.a ou 0,40MPa ou 4kgf/cm² - Caso ultrapasse, usar válvula redutora de pressão;
5) Pressão de serviço dos tubos de PVC rígido p/ instalações hidráulicas = 75m.c.a.;
6) Sempre que for comprar tubos de PVC lembre-se: Linha soldável -> øs em mm ou linha roscável -> øs em polegadas.

Ampliar

EXEMPLO ILUSTRATIVO DE DIMENSIONAMENTO:
Consulte um profissional habilitado para fazer seus projetos.
Utilizaremos as tabelas

Vamos determinar os diâmetros das tubulações da instalação ao lado:
- Iniciamos os cálculos, partindo do reservatório.

1.º trecho AB (barrilete):
Neste trecho, sabemos que a vazão que por ali escoa, é a soma de todas as vazões das peças de utilização da instalação. Sendo assim, o diâmetro mínimo necessário, será aquele correspondente à soma total dos pesos das peças da utilização, ou seja:



PEÇA DE UTILIZAÇÃO

QUANTIDADE

PESO (consultar HidroTabelas)

Válvula de descarga

01

40,00

Bidê

01

0,10

Torneira de lavatório

01

0,50

Chuveiro

01

0,50

Torneira de pia de cozinha

01

0,70

Torneira de tanque de lavar

01

1,00

SOMA TOTAL DOS PESOS

42,80



Pela tabela "Diâmetros de tubos de PVC rígido e vazões em função da soma dos pesos", o valor de 42,80 corresponde ao diâmetro de 40mm (linha soldável) ou 1 1/4" (linha roscável). 2.º trecho BC (coluna):
Observando o desenho da instalação, podemos perceber que a vazão que escoa na coluna é a mesma que a do barrilete. Logo, o diâmetro continua sendo de 40mm (linha soldável) ou 1 1/4" (linha roscável). 3.º trecho CD (ramal de alimentação):
Bidê, chuveiro, pia e tanque. O processo é o mesmo do 1.º trecho. Somamos os pesos das peças que são alimentadas por esse ramal, ou seja, 2,80 e, a seguir, localizamos na tabela o diâmetro que atende a essa soma de pesos que é o diâmetro de 25mm (linha soldável) ou 3/4" (linha roscável). 4.º trecho (sub-ramais):
- Válvula de descarga:
O peso para essa peça, pela tabela, é de 40,00. Logo usaremos diâmetro de 40mm (linha soldável) ou 1 1/4" (linha roscável).
- D-Bidê, E-Lavatório, F-Chuveiro, G-Pia da cozinha e GH:

O peso de cada uma dessas peças, individualmente, não ultrapassa o valor de 1,10 (este é o maior peso para que tenhamos o diâmetro de 20mm ou 1/2".
Assim, os diâmetros mínimos para esses sub-ramais deverão ser de diâmetro de 20mm (linha soldável) ou 1/2" (linha roscável). Na realidade, para casos de pequenas instalações como a que apresentamos, seria anti-econômico utilizarmos três diferentes diâmetros, por duas razões:
* Devido às sobras que normalmente ocorrem, em virtude da variedade de diâmetros;
* Necessidade de se adquirir um maior número de conexões.
Conclusão: Assim, utilizaremos somente os diâmetros de 40mm ou 1 1/4" (barrilete, coluna e sub-ramal do vaso sanitário) e o de 25mm ou 3/4" para os restantes. Outro exemplo: Experimente testar seus conhecimentos, supondo agora um reservatório que abasteça, por uma única coluna, a três banheiros idênticos ao da figura acima, porém agora em um prédio de três pavimentos. LEMBRE-SE:
Resolva os problemas de dimensionamento, somente quando não houver projeto hidráulico. Quando existir, siga as instruções do engenheiro da obra, que poderá orientá-lo, com base nos conhecimentos que ele possui.



ESGOTO

COMPONENTES DO SISTEMA DE ESGOTO PREDIAL:
1) Tubulações de esgoto secundário:
- Não tem acesso os gases provenientes dos coletores - A passagem dos gases é bloqueada pelos fechos hídricos dos sifões ou desconectores - (predial e público) e sub-coletores;
- Ramais de descarga (lavatório, chuveiro, bidê e banheira);
- São tubos de ø40mm em PVC rígido.

2) Tubulações de esgoto primário:
- Tem acesso os gases provenientes dos cloletores e sub-coletores;
- Devem obrigatoriamente ser ventilados;
- Ramal de esgoto (horizontal);
- Tubos de queda (só existem em prédios de mais de um pavimento) - vertical;
- Sub-coletores (funcionam na horizontal);
- Coletor predial (horizontal e instalado pela concessionária) - vai do poço de visita ao coletor público.

TUBO VENTILADOR:
É o tubo destinado a possibilitar o escoamento de ar da atmosfera para o inteirior da instalação de esgotos e vice-versa, com a finalidade de protegê-la contra possíveis rupturas dos fechos hídricos dos desconectores. O tubo de ventilação, quando desenvolve-se por um ou mais andares, denomina-se COLUNA DE VENTILAÇÃO. A sua extremidade superior, nesse caso, deve ser aberta à atmosfera e ultrapassar o telhado em, no mínimo, 30cm.